É fundamental que os professores saibam "brincar"?